Vice-governador critica proposta de renegociação da dívida de MG

Por:

Com a proposta do Ministério da Fazenda para renegociar a dívida dos estados com a União se aproximando, Mateus Simões (Novo), vice-governador, questiona se a alternativa sugerida a Minas Gerais pelo presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (PSD), realmente receberá uma análise. Em entrevista na sexta-feira (22) ao Café com Política da FM O TEMPO, Simões expressou preocupação de que a proposta da Fazenda possa ignorar a federalização de Cemig, Copasa e Codemig.

Simões destacou que a reunião da próxima terça-feira (26), na qual a Fazenda teoricamente apresentará a análise da viabilidade da proposta de Pacheco para Minas, envolverá todos os governadores. “Isso me faz pensar que não vamos receber uma resposta sobre a proposta do senador Rodrigo Pacheco, mas sim ouvir uma proposta sobre a dívida brasileira. É ótimo, é bem-vindo, mas pergunto: o governo federal não vai analisar a proposta do senador Rodrigo Pacheco?”, questionou.

Resposta de Pacheco

Quando contatado, Pacheco afirmou que prefere esperar a apresentação do projeto pelo Ministério da Fazenda na próxima semana. Além da federalização, Pacheco sugere que créditos pendentes da União com o Estado, como os R$ 8,7 bilhões em compensações da Lei Kandir e a parcela que Minas terá direito na repactuação de Mariana, sejam usados para reduzir parte da dívida de cerca de R$ 165 bilhões de Minas. O resto da dívida seria então dividido em parcelas iguais ao longo de 12 anos.

Possível mudança de indexador da dívida

De acordo com o vice-governador, informações recentes sugerem que a Fazenda realmente proporá aos estados uma mudança no indexador da dívida, que atualmente é corrigida pelo IPCA, mais uma taxa nominal de juros de quatro pontos percentuais. “Posso me surpreender e o Ministério da Fazenda apresentar as duas coisas juntas, mas estou em uma semana de ansiedade, porque vimos esses vazamentos na imprensa sobre a mudança do índice de correção”, disse.

Caso a federalização não esteja na proposta da Fazenda, Simões garantiu que o governador Romeu Zema (Novo) entrará em contato com Pacheco, que “tem esse bom relacionamento com o presidente Lula”, para buscar apoio junto ao governo federal. “Estamos dispostos a dar a ele todo o apoio necessário para que a proposta dele possa prosperar. Minas Gerais precisa da ajuda de todos”, afirmou o vice-governador.

Tags: Governo de Minas
Home » Política » Vice-governador critica proposta de renegociação da dívida de MG

Notícias Relacionadas